instantcasino -Durante esta semana, o município de Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro, vai promover

Mutirão em Niteróinstantcasino -i orienta sobre assistência social

Durante esta semana,ãoemNiteróiorientasobreassistêinstantcasino - o município de Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro, vai promover ações em apoio à população LGBTQIA+ da cidade. Entre as atividades está o 3º Mutirão de Orientação para Retificação do Nome para Pessoas Transexuais.

Continua após publicidade

O mutirão, realizado pela Coordenadoria de Defesa dos Direitos Difusos e Enfrentamento à Intolerância Religiosa (Codir), ocorre na terça-feira (27). De acordo com a prefeitura, durante o evento, serão oferecidos serviços como cópias das documentações necessárias para a retificação, impressões de certidões necessárias, emissão de atestado de hipossuficiência para pessoas em vulnerabilidade social e montagem do processo para entrada no cartório de registro. A ação acontece das 10h às 16h, na sede da Codir, na rua Almirante Teffé, 632, sala 107, em frente à praça do Rink, no centro.

Leia mais: De onde vem? Livro investiga raízes da LGBTQIA+fobia em lares cristãos do Brasil

Já na quarta-feira (28), Dia do Orgulho LGBTQIA+, o município promove o evento "Codir nas Ruas – Orgulho LGBTQIA+". A ação vai orientar e encaminhar para os serviços da rede municipal a população interessada na retificação do registro civil de pessoas trans, na emissão de 2ª via do registro geral para a população LGBTQIA+ em situação de vulnerabilidade social, além de informações sobre legislações e distribuição de preservativos e gel lubrificante. O evento ocorrerá na Praça Arariboia, no centro da cidade, das 10h às 16h.

"Desde 2018, após decisão do Supremo Tribunal Federal, pessoas transexuais podem solicitar a retificação do prenome diretamente no seu cartório de registro. Elaboramos esta ação com o objetivo de orientar e facilitar o acesso a esta política pública. Vamos direcionar toda nossa estrutura para este serviço tão importante na promoção da dignidade e cidadania das pessoas transexuais, frente a todas as vulnerabilidades e violência que esta população enfrenta cotidianamente", afirmou o coordenador da Codir, Felipe Carvalho.

Fonte: BdF Rio de Janeiro

Edição: Jaqueline Deister


Relacionadas

  • Bem Viver na TV traz entrevista com Ruth Venceremos no mês do orgulho LGBT+

  • 'Quem é LGBT não pode ter medo de ser, apesar da violência', diz autora de dossiê de mortes

  • Orgulho LGBT: "Não basta só eliminar a violência", diz dirigente do coletivo LGBT Sem Terra

BdF

  • Quem Somos

  • Parceiros

  • Publicidade

  • Contato

  • Newsletters

  • Política de Privacidade

Redes sociais:


Todos os conteúdos de produção exclusiva e de autoria editorial do Brasil de Fato podem ser reproduzidos, desde que não sejam alterados e que se deem os devidos créditos.

Visitantes, por favor deixem um comentário::

© 2024.cc777sitemap